Refrigerantes e Pesorefrigerante

O período compreendido entre o início dos anos 1980 e 2009, pode vir a ser chamado pelos historiadores como “a engorda da América”. Entre 1985 e a atualidade, a proporção de americanos com sobrepeso ou obesos aumentou 45%, e 66% desde meados da década de 1960 até hoje. Os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças têm uma apresentação que mostra a disseminação da obesidade nos EUA. Não há uma única causa para esse aumento, mas vários contribuintes, sendo certamente um deles a nossa propensão para extinguir a nossa sede com bebidas variadas, exceto água.

 

Aparecimento do açúcar

Antigamente os seres humanos iam buscar quase todas as suas calorias aos alimentos que encontravam na natureza. Isto mudou com o aparecimento do açúcar barato, e do xarope de milho com alto teor de frutose. Este xarope, tem sido apontado como um dos vilões na epidemia de obesidade, mas, na verdade, o açúcar de mesa e os adoçantes de milho provavelmente terão o mesmo impacto fisiológico sobre o açúcar no sangue, a insulina e o metabolismo. O açúcar adicionado aos alimentos corresponde a quase 16% da ingestão diária do americano médio, os refrigerantes adoçados compõem quase metade disso.

 

Cortar nas bebidas açucaradas pode levar a perda de peso

Dezenas de estudos têm explorado as possíveis ligações entre refrigerantes e peso. Não é uma tarefa fácil, por várias razões. Apesar destes desafios de pesquisa, estudos mostram consistentemente que o aumento do consumo de refrigerantes está associado a um aumento da ingestão de energia. Numa meta-análise de 30 estudos nesta área, 10 de 12 estudos transversais, cinco de cinco estudos longitudinais, e quatro de quatro estudos experimentais de longo prazo demostrou-se que esta associação é positiva. A diferente meta-análise de 88 estudos mostrou que o efeito parece ser mais forte nas mulheres, os estudos com foco em bebidas não alcoólicas adoçadas com açúcar, e não nos estudos financiados pela indústria de alimentos. Estudos em crianças e adultos também têm vindo a demonstrar que cortar nas bebidas açucaradas pode levar a perda de peso.