MOA E OS RADICAIS LIVRESradicais-livres

Os radicais livres ocorrem no nosso corpo ao nível molecular. São átomos de oxigénio geralmente aos pares de eletrões em órbita de um núcleo, mas às vezes algo interrompe-os e, ao invés de pares de eletrões há agora um único eletrão “livre” que é o resultado de uma reação. Os eletrões são programados para encontrar um companheiro. A nível atómico como na vida, pode-se fazer escolhas erradas.

Os Radicais livres em busca de um companheiro podem danificar células e tecidos, incluindo o ADN, diz Roberta Larson Duyff, MS, RD, em seu livro “The Complete Guide Food Nutrition American Dietetic Association. Os danos dos radicais livres estão relacionados com a doença de Alzheimer, cancro, doenças cardiovasculares, catarata e artrite.

O dano oxidativo vê-se na corrosão do ferro, ou na sua cozinha. Quando se corta uma maçã, ela começa a ficar castanha, mas ao colocar o sumo de limão permanece branca. Porquê? Pela presença de antioxidantes.

 

OS ANTIOXIDANTES DIMINUEM OS RADICAIS LIVRES

“Alguns estudos epidemiológicos e laboratoriais sugerem que os antioxidantes de suplementos ou alimentos podem fornecer alguma proteção contra o desenvolvimento de Alzheimer”, relata INV. “Outros estudos sugerem que uma dieta de baixa caloria pode impedir o desenvolvimento da doença de Alzheimer, diminuindo as taxas metabólicas.”
A inflamação, que desempenha um papel importante em muitas doenças, como artrite reumatoide e doenças da tiroide também pode contribuir para os danos dos neurónios e de Alzheimer. Os pesquisadores estão divididos quanto a este aspeto da doença de Alzheimer, enquanto uns acreditam que a evidência de um processo contínuo inflamatório encontrado na placa beta-amiloide da doença de Alzheimer é uma evidência que mata as células do cérebro, outros suspeitam que o processo inflamatório pode realmente ser útil, e tem uma função de cura.

DEMÊNCIA VASCULAR E ALZHEIMER

A demência ou AD e multi-infarto (DV) são as formas mais comuns de demência na terceira idade, e são incuráveis.
Doença de Alzheimer piora lenta e gradualmente à medida que os neurónios, em certas partes do cérebro, começam a mudar e a morrer. “À medida que a doença se desenvolve, os sintomas variam de esquecimento leve a graves deficiências no pensamento, a julgar e a capacidade de lidar com atividades diárias”.

Os danos causados pelos radicais livres também podem ser muito graves para a doença de Alzheimer por danificar as células do cérebro. Os radicais livres são produzidos por processos de oxidação normal no corpo e encontrados em fatores ambientais, como fumo do cigarro, luz ultravioleta e queimaduras. Todos estamos sujeitos.

Há uma opção viável natural, para adiar os estragos que provocam doenças como Alzheimer e a Perda de Memória, são os ingredientes existentes na bebida MOA!
Porque não experimentar de uma forma séria uma alimentação saudável e uma dieta rica em Fitonutrientes?