neurológicaSuporta a patologia de base inflamatória neurológica.

O consumo da bebida MOA, apoia em patologias neurológicas de base inflamatórias, como Parkinson, Alzheimer e outros tipos de demência, suportando os efeitos normativos de neurotransmissores.

Tomas: 2 a 3 doses (30 ml a dose), por dia, às refeições, por um longo período de tempo.

Ajuda a prevenir a doença de Parkinson.

A doença de Parkinson é uma desordem que afeta as células nervosas numa parte do cérebro que controla o movimento muscular.

Na doença de Parkinson, os neurónios que produzem uma substância química chamada dopamina que não funciona corretamente.

Normalmente, a dopamina envia sinais que ajudam a coordenar os movimentos. Ninguém sabe qual a origem do dano nestas células.

Com o agravamento dos sintomas, as pessoas podem ter dificuldade em caminhar ou fazer tarefas simples. (dificuldade de mastigação, deglutição e fala). Podem também ter problemas como tremores involuntários, espasticidade, depressão, distúrbios do sono,

O consumo da bebida MOA, que tem ingredientes com grandes propriedades antioxidantes, que impede a oxidação, um fator predominante da doença de Parkinson.

Os médicos disseram que vários ingredientes da bebida MOA podem ajudar a reduzir a toxicidade do fígado, possibilitando a normalização de homocisteína, um aminoácido que é geralmente elevado nos pacientes com Parkinson.

 

Fibromialgia.

A fibromialgia (FM) é uma condição crónica e complexa que afeta principalmente os tecidos moles em torno das articulações, em todo o corpo. Produz dor e um profundo esgotamento. Pacientes com fibromialgia têm excelentes resultados com o uso do MOA, pois as os componentes ativos tais como as Xantonas existentes nesta bebida atacam vários dos seus sintomas. A capacidade anti-inflamatória de vários frutos que se encontram no MOA, favorece a inibição seletiva da ciclooxigenasa2, cox2, a sua ação motoniveladora de neurotransmissores (como serotonina), atua, favoravelmente, para combater a depressão e a ansiedade do paciente e as suas propriedades antioxidantes são mencionadas como um aspeto positivo na recuperação da doença. Embora a fibromialgia não tenha cura, o consumo de MOA pode fornecer aos pacientes com esta condição, uma melhor qualidade de vida. Sugere-se a toma de 2 a 3 doses, por dia, durante um longo período de tempo.

Depressão, insónia e ansiedade.

As serotoninas promovem a libertação de endorfinas, que estão relacionadas com o prazer e estados de alegria. As prostaglandinas são moléculas de sinalização de vida média-curta, que atuam como mensageiras autócrinas e parácrinas. As suas principais funções fisiológicas no sistema nervoso central (CNS) são a regulação da memória, sono, febre e dor. Também se considera que estão muito relacionadas com a etiologia (estudo das causas) das doenças neurovegetativas. Estudos feitos por Nakatani (Cientista de pesquisa sénior (Supervisor), com outros Investigadores, constataram que o Mangostão o Açaí, o Noni são é um inibidor da síntese da prostaglandina E2. Por isso, tem uma ação direta contra os efeitos nocivos do excesso de produção de prostaglandina E2.

Alguns componentes ativos tais como as Xantonas nivelam os neurotransmissores do cérebro e equilibram, em muitos casos, o sonho e a ansiedade. Furukawa K. (Professor do Departamento de Bioquímica Molecular), com outros Investigadores, encontraram ação serotonérgica e histaminérgica em Xantonas presentes no Mangostão. Este super fruto é um dos ingredientes presentes no MOA.

Sugerem-se 3 a 4 doses, por dia, por um longo tempo, e tomar à noite antes de dormir.

Ao manter níveis ótimos de serotonina no organismo, podem regular estas funções ou estados. É por isso que o MOA é tão versátil.

Estudos feitos na Alemanha sugerem que as plantas que contenham Carotenos, Xantonas, Bioflavonoides, Flavonoides, Proantocianidinas e Glicose funcionam como antidepressivos, porque são inibidores da atividade.