Você acha que aparenta ter a idade que tem quando se olha no espelho? O envelhecimento da pele é um processo natural com o avanço da idade, mas os hábitos e comportamentos de uma pessoa geralmente são decisivos para definir a aparência da pele. Entre os vários fatores que contribuem para isso estão os fatores genéticos, os fatores externos – como poluição e exposição aos raios solares em épocas mais quentes – e os fatores internos – como fumo e uma alimentação deficiente.

A carência de nutrientes, sobretudo dos antioxidantes como as vitaminas C e E, contribuem para gerar uma grande quantidade de radicais livres atuantes na pele. Em consequência disso, o material genético é modificado e a proliferação celular diminui, causando o envelhecimento cutâneo. É impossível evitar completamente a formação desses radicais livres, mas isso pode ser amenizado. Por tanto, seguir os mandamentos de uma alimentação correta é fundamental para diminuir seus efeitos.

“Uma alimentação equilibrada fornece diferentes nutrientes que exercem diversas funções no organismo, entre elas neutralizando os radicais livres, auxiliando na renovação das células, melhorando assim a saúde e aparência dos cabelos, unhas e pele”, diz a nutricionista funcional Andrea Forlenza.

A boa notícia é que para alcançar esses benefícios, não precisa de muito. Pequenas mudanças de hábitos podem fazer toda a diferença na saúde da pele, como explica a nutricionista: “Ingerir pelo menos dois litros de água por dia, evitar frituras e alimentos refinados, fazer de cinco a seis refeições, consumir fibras e mastigar bem os alimentos são exemplos para manter a pele mais saudável e bonita”.

Além disso, o consumo de alimentos antioxidantes e com nutrientes específicos colabora para minimizar os danos causados à pele.

Alimentos de cor alaranjada: fornecem betacaroteno, um poderoso antioxidante que ajuda a combater o envelhecimento celular e ainda protege a pele contra os danos causados pelo sol. Além disso, no organismo ele é convertido em vitamina A, nutriente que atua na atividade de genes responsáveis pela produção de colágeno e elastina, proteínas que dão sustentação e firmeza para pele. Os alimentos desse grupo são manga, damasco, cenoura, pêssego.

Cereais integrais e leguminosas: fontes de vitaminas do complexo B e de zinco, que atuam na produção do colágeno e no funcionamento de enzimas antioxidantes.

Aveia: rica em silício, que atua na estrutura de colágeno e elastina, além de contribuir com a renovação dos tecidos e ter ação antioxidante.

Frutas vermelhas: apresentam grandes quantidades de polifenóis, substâncias antioxidantes que ajudam a neutralizar a ação dos radicais livres, responsáveis pelos danos causados à pele como manchas e rugas.

Frutas cítricas: ricas em vitamina C, importante nutriente para a produção de colágeno, além de sua excelente ação como antioxidante.Salmão e sardinha: fontes de ômega-3, nutriente anti-inflamatório que ajuda a melhorar a hidratação da pele. Esse nutriente também pode ser encontrado na linhaça e na chia.

Feijão azuki, tomate e chá verde: fornecem polifenois e flavonoides com ação anti-inflamatória e antioxidante. Rico em coenzima Q10, o feijão azuki colabora para a regeneração e integridade da pele.

Conheça MOA – uma poderosa bebia antioxidante.